POSTAGENS RECENTES EM DESTAQUE clique na imagem para ver a postagem

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Trajeto para Dom Inocêncio continua alagado e de difícil acesso. Confira nas imagens feitas neste carnaval

Quem precisar ir a Dom Inocêncio terá uma difícil tarefa. O município que já era isolado com as fortes chuvas que caíram no início de janeiro agravou ainda mais o isolamento. 

O viajante que quiser arriscar terá que romper riachos e estradas esburacadas pelo caminho. Somente com muito sacrifício é possível chegar á sede do município que foi inundado pelas águas em 24/01. 

Os riachos continuam "botando" água e devem permanecer assim enquanto as barragens estiverem sangrando. Apesar de tudo que passamos, só em ver a caatinga renascendo com toda sua beleza e a volta das chuvas já vale o sacrifício.

Confira nas imagens o sufoco que passamos neste carnaval para conseguir chegar á sede de Dom Inocêncio onde fica a Cristal. A missão era difícil, mas não poderia ser adiada. O estoque de produtos estava no fim e foi preciso se deslocar de São Raimundo até a sede em respeito aos nossos clientes que já sofriam com o desabastecimento. 

Observe a profundidade do riacho da Ingazeira, 
primeiro riacho a ser atravessado por quem 
vem de São Raimundo com destino a Dom Inocêncio 
faltando ainda 43km para chegar ao destino

Uma pausa embaixo deste lindo umbuzeiro na Lagoa da Porta, 

município de Coronel José Dias, faltando ainda 43km para 
chegar a Dom Inocêncio

Bela cachoeira em Lagoa da Porta,
município de Coronel José Dias
Caldeirão esculpido pelas águas em Lagoa da Porta, com profundidade
de três metros, município de Coronel José Dias

Casa abandonada na Lagoa da Porta,  município de Coronel José Dias

Lagoa da Porta,  município de Coronel José Dias completamente cheia

Riacho da Fazenda do Meio, á 18 km da sede de Dom Inocêncio ainda correndo água

Riacho da Fazenda do Meio, á 18 km da sede de Dom Inocêncio ainda correndo água. É possível ver as marcas por onde a água passou
Riacho da Fazenda do Meio, á 18 km da sede de Dom Inocêncio ainda correndo água. É possível ver as marcas por onde a água passou
Riacho da Fazenda do Meio, á 18 km da sede de 

Dom Inocêncio ainda correndo água. 
É possível ver as marcas por onde a água passou

Travessia do riacho da Fazenda do Meio

Barra do riacho  á 3 km da sede de Dom Inocêncio. É possível ver as marcas por onde a água passou

Barra do riacho  á 3 km da sede de Dom Inocêncio. 
Barra do riacho  á 3 km da sede de Dom Inocêncio. A cerca foi construída logo após a cheia do riacho
Localidade dos Poços, á 6 km da sede de Dom Inocêncio. 

Observe o estrago feito na estrada pelo estouro da barragem que acabou 
inundando a sede

Localidade dos Poços, á 6 km da sede de Dom Inocêncio. 

Observe o estrago feito na estrada pelo estouro da barragem que acabou 
inundando a sede 
Estrada que segue em direção á região do Sal
que fica á 24km da sede de Dom Inocêncio
completamente intransitável

Veredas ainda "botando" água

Estrada que segue em direção á região do Sal 
que fica á 24km da sede de Dom Inocêncio 

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Dom Inocêncio perdeu hoje um grande exemplo de superação

"Marileide não morreu, ganhou asas"
Marileide Silva 
imagem de seu perfil 
A inocentina Marileide Silva acaba de falecer hoje quarta-feira de cinzas (10/02) em Petrolina. A jovem cadeirante era bastante conhecida em Dom Inocêncio e  região. 

Reconhecida por todos como um exemplo de superação, ela teve paralisia infantil quando bebê,  deixa todos os inocentinos comovidos com sua partida. 

No final de 2014, Marileide ganhou uma cadeira de rodas motorizada da prefeitura municipal para se movimentar.

"Nossa esta meus amigos e amigas foi um presentão de meu níver dia 19 De Dezembro e tambem 2015. Fiquei tão ansiosa que nem meus tamanquinhos ficaram nos meus pezinhos na hora que o Prefeito Nenê me entregou a cadeira."
agradeceu a jovem inocentina.


Apesar da saúde frágil era muito alegre, extrovertida e comunicativa, Marileide cativou a todos que tiveram o prazer de conhecê-la.  

Marileide com certeza está no céu. Livrou-se de suas limitações físicas. Pode agora se locomover livremente para onde quiser. Acabou de ganhar asas como todo anjo que subiu aos céus. Descanse em paz, Marileide!

Veja mais detalhes no depoimento do  inocentino Gustavo Almeida


TRISTEZA
Todos em Dom Inocêncio receberam com tristeza na tarde desta quarta-feira (10) a notícia da morte da Marileide Silva, figura bastante querida por todos na cidade. 

E esse carinho foi conquistado, sobretudo, pelo seu exemplo de superação. Mesmo com a limitação imposta pela deficiência física, ela nunca perdeu a alegria de viver e esbanjava felicidade por onde andava.

Ouvinte assídua da Rádio Serra da Capivara, a jovem era figurinha marcada em vários programas de entretenimento da emissora, falando ao vivo por telefone da cidade de Dom Inocêncio e mandando aqueles tão peculiares “alôs” para os seus amigos. E olha que o leque de amizades dela era extenso, ultrapassando até mesmo as fronteiras de Dom Inocêncio.



Palmeirense apaixonada, Marileide era também um exemplo para as pessoas. Acometida por uma paralisia infantil quando tinha apenas 1 ano e seis meses de vida, ela ficou com os movimentos comprometidos, mas mesmo assim se tornou conhecida pela alegria que sempre ostentou. E assim ela também será lembrada pela comunidade inocentina!!!


Marileide tinha 38 anos e morreu vítima de uma infecção intestinal em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), em Petrolina-PE, onde estava desde a sexta-feira (5). Devido às péssimas condições das estradas em decorrência das chuvas que atingiram Dom Inocêncio, ela não conseguiu se deslocar antes até a cidade pernambucana.

Seu corpo será levado ainda nesta quarta-feira (10) para a localidade Garrote, zona rural de Dom Inocêncio, onde deverá ser sepultado amanhã às 13h. O momento é de tristeza, mas a alegria que ela sempre esbanjou ficará na memória dos amigos que ela tão bem cultivou.

Marileide Silva ganhando sua cadeira
de rodas motorizada. Ao lado de sua mãe e do Prefeito Nenê
imagem: Alonso Gomes 

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Escassez de mercadorias em Dom Inocêncio obriga comerciantes a ir para Remanso.

O isolamento da sede de Dom Inocêncio continua causando prejuízos aos moradores e sobretudo ao comércio local. 
Gêneros de primeira necessidade já faltam há algum tempo nas prateleiras. Com exceção de alguns ítens não alimentícios como produtos de limpeza e higiene.  
Vale destacar que a Cristal está procurando atender satisfatoriamente aos seus clientes e por enquanto ainda dispõe de estoque suficiente para abastecer a sede sem problemas de escassez.
A direção da Cristal afirma que está preocupada com o momento atual que vive o município, mas informou que os estoques, apesar do aumento  anormal no consumo, ainda são suficientes para atender a todos os clientes que necessitam dos produtos.
" Neste momento ainda não estamos passando pela escassez de produtos de limpeza. Estamos nos desdobrando de todas as formas para poder atender a clientela com todos os sete ítens que trabalhamos e que não apresentaram ainda falha no fornecimento ao consumidor". 

"Alguns produtos estão sendo mais procurados, como desinfetantes, detergentes e limpa alumínio, mas sem comprometer o abastecimento, pelo menos por enquanto. O que preocupa é que não sabemos até quando poderemos manter o fornecimento", informou a direção da Cristal que tem sede em Dom Inocêncio.

" A fabricação dos produtos é feita na própria sede do município o que facilita a distribuição ao comércio local, lembrando também que, graças a Deus, não fomos atingidos pelas enchentes. A Cristal está localizada no bairro Alto Bela Vista, a parte mais alta da sede e a água não chegou até lá", salientou a direção. 
Já alguns comerciantes não esperaram pelos fornecedores e meteram o pé na estrada - se é que ainda existe estrada - e foram até o município vizinho de Remanso por  um trajeto mais longo passando por Casa Nova e dobrando o percurso em busca de mercadorias que compõem a cesta básica.
Não existe previsão do início das obras de recuperação das estradas que ligam a cidade a outros municípios. A chuva, que deu uma parada nesta semana, pode voltar a qualquer momento.
Confira no relato do jornalista Marcelo Damasceno sobre o sacrifício de comerciantes para abastecer a sede.

Comerciantes inocentinos se deslocam até Remanso para abastecer a sede
imagem: Marcelo Damasceno

Veículos trouxeram o que puderam para atender á clientela 
imagem: Marcelo Damasceno

Comerciantes inocentinos precisam alterara a rota e percorreram o dobro do percurso para chegar até Remanso  imagem: Marcelo Damasceno
Devido a escassez de alimentos em Dom Inocêncio, comerciantes se reúnem e vão até Remanso-BA em busca de mercadorias
Um dia todo para chegar até a cidade de Remanso na Bahia via Riacho Seco, Lagoa do Alegre e finalmente Remanso. Esse foi o percurso feito pelos comerciantes o Sr. Marinho Damasceno, Nequinha da Genilde e o motorista Regis da Iracema.

Uma tarefa difícil. Uma viagem que antes se fazia em 2hs no percurso normal de 70 km. Devido as péssimas condições que se encontra as estradas hoje, esse trajeto simplesmente dobrou para 140km.

Em meio aos atoleiros, riachos e muita pedra solta, finalmente foi possível chegar em Dom Inocêncio, trazendo para a clientela na carroceria de três D20 o mínimo para a cesta básica.

Para amenizar a falta da mercadoria nas prateleiras, a única solução encontrada pelos comerciantes foi ir ao encontro dos baús de entrega nas estradas, no meio do caminho, em lugares mais acessíveis, para assim ser feita a possível transferência da carga, que antes não era permitido devido às péssimas condições das estradas até chegar em Dom Inocêncio.
Até o fechamento desta matéria, a cidade ainda não conta com uma renovação e um abastecimento no estoque de mercadorias no segmento de verduras, frios e derivados, que tenha sido entregue pelos distribuidores na sede da cidade.
Dom Inocêncio já sofre com essa escassez desde do dia 24/01 quando barragens e riachos no município desseram com um volume muito grande de água, destruindo estradas e impedindo o fluxo da entrada e saída de veículos na cidade.
Se tivémos em Dom Inocêncio um bom asfalto a exemplo de outras cidades circunvizinhas, com certeza não estaríamos passando por esses transtornos e vexames.
Macelo Damasceno



Barragem do Oiti continua sangrando em Dom Inocêncio

As constantes chuvas que caíram em Dom Inocêncio na primeira semana de janeiro e que inundaram a sede do município trazendo sérios prejuízos aos inocentinos também ajudaram a recompor as barragens que estavam em nível crítico. 

O açude Nonato mais conhecido como barragem do Oiti, ponto mais alto de Dom Inocêncio que possui 600 metros e deu nome ao açude, recebeu muita água de pequenas barragens que se romperam e continua propiciando um belo espetáculo com o sangradouro ainda vertendo água. As imagens são deste final de semana (08/02).

A capacidade do açude é de nove milhões de metros cúbicos ou nove bilhões de litros d'água. Os inocentinos agora estão comemorando o transbordamento e a recomposição da barragem. Muitos estão se dirigindo ao local que utilizam  como área de lazer.



Barragem Nonato ou do Oiti á 14km da sede de  Dom Inocêncio completamente cheia e transbordando



Sangradouro da barragem do Oiti á 14km
da sede de
 Dom Inocêncio

Sangradouro da barragem do Oiti á 14km
da sede de
 Dom Inocêncio 
Sangradouro da barragem do Oiti á 14km
da sede de
 Dom Inocêncio

Morro do Oiti, com cerca de 600 metros, o ponto mais alto de Dom Inocêncio


Sangradouro da barragem do Oiti á 14km
da sede de
 Dom Inocêncio 
Sangradouro da barragem do Oiti á 14km
da sede de
 Dom Inocêncio

Sangradouro da barragem do Oiti á 14km
da sede de
 Dom Inocêncio

Sangradouro da barragem do Oiti á 14km
da sede de
 Dom Inocêncio

Casal de idosos é assaltado no interior de Dom Inocêncio

E a onda de violência continua assustando os inocentinos que além de isolados sofrem com os constantes assaltos sobretudo no interior do município. 

Após a tocaia feita pelos bandidos na sexta-feira (05/02) próximo da localidade dos Cágados levando uma moto e cerca de mil reais de duas vítimas, agora foi um casal de idosos que sofreu nas mãos dos assaltantes no interior do município.

Confira no relato do jornalista inocentino Marcelo Damasceno:

imagem: divulgação 
"Ladrões armados fazem um arrastão na casa do Sr. Cícero na localidade de Ladeira Dom Inocêncio
Mais um assalto no município de Dom Inocêncio em menos de uma semana. Só que desta vez foi na localidade de Ladeira. O assalto aconteceu ontem (07) por volta das 23hs na residência do aposentado e comerciante de 81 anos.

No momento do assalto estava em casa o Sr. Cícero é sua esposa dona Anízia, quando três bandidos todos bem armados e encapuzados quebraram a porta da casa adentraram e fizeram a ação, levando todo o dinheiro da vítima que é um dos comerciantes da localidade. Os bandidos amarraram as mãos das vitimas para trás, colocando mordaças na boca e máscaras nos rostos para evitar que as mesmas pudessem os reconhecê-los.
Segundo relatos do autônomo João Silva (40) anos, um dos assaltantes chegou a trancar as vítimas dentro de um quarto, enquanto os outros dois procuravam dinheiro em todo canto da casa.
Na ação a casa ficou toda bagunçada e vários tiros foram disparados na tentativa de amedrontar o morador e levar a maior quantidade de dinheiro possível.
Ainda não se sabe a quantia exato levada pelos bandidos.
Com informações e colaboração de João Silva."
Macelo Damasceno

Pai e filho são presos por furtar moto em São Braz do Piauí


Dupla tentava vender o veículo furtado na própria cidade 
(Foto: Divulgação/Polícia Militar)

Policiais militares da cidade de São Braz do Piauí, a 553 km de Teresina, prenderam por volta das 14h desta segunda-feira (8) dois homens suspeitos de furtar e descaracterizar uma motocicleta. O veículo havia sido levado na noite do dia 1º de fevereiro quando estava estacionado na própria cidade e desde então a polícia investigava o crime.

Os presos são pai e filho, identificados como Wesley Costa Braga, 19 anos, e Hélio Gomes Braga, 44 anos. De acordo com o cabo Crispim Ribeiro, comandante do Grupamento de Polícia Militar (GPM) de São Braz do Piauí, eles alteraram as características da moto para afastar as suspeitas e poder circular livremente com o veículo.   

"Desde o furto vínhamos policiando a dupla e recebemos uma denúncia anônima denunciando que os dois estavam oferecendo uma moto com as mesmas características da que havia sido furtada. Abordei um deles com a moto e pedi a documentação, foi aí que ele disse que os documentos estavam com o filho. Fomos até a casa e o filho admitiu que furtou a moto e trocou as carenagens", explicou o comandante.

Motocicleta recuperada pelos policiais em São Braz do Piauí (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

A moto foi levada para o GPM da cidade, onde teve a documentação checada e foi feito o reconhecimento pelo proprietário. Ainda conforme o cabo Crispim Ribeiro, a dupla é suspeita de outros furtos na região. Pai e filho foram autuados e encaminhados para a Delegacia da Polícia Civil de São Raimundo Nonato.

Acesse Piauí

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Assaltantes fazem vítimas no interior de Dom Inocêncio.

"Bandidos ficaram na espreita"

A violência não perdoa nem as pequenas cidades do interior do Piauí. Em Dom Inocêncio, assaltantes encapuzados fizeram tocaia na estrada que leva á localidade de Cágados e renderam duas pessoas que voltavam da sede do município. 
As vítimas foram sacar o benefício e na volta tiveram esta surpresa desagradável. Vale lembrar que hoje, sexta-feira (05/02), é o quinto dia útil, chamado pelos inocentinos como "dia dos velhos" ou dia da feira na sede. É a data em que é feito o pagamento dos benefícios sociais.

confira mais detalhes na postagem do jornalista inocentino Marcelo Damasceno: 


"Assalto em uma das estradas que liga o interior do município a sede da cidade de Dom Inocêncio, deixa população amedrontada.

A ação aconteceu hoje por volta das 13h30 desta sexta-feira (05), próximo a Lagoa do Paredado conhecido por alguns como Lagoa da Vereda, entre as localidades de Cágados e Barra do Antônio Martins.


Informações dão conta que os dois rapazes assaltantes já estavam a espera debaixo de um pé de umbuzeiro proximo da estrada, assim que avistaram as vítimas, se deslocaram em direção às mesmas abordando e dando voz de assalto. Os bandidos estavam de moto e encapuzados.

Na oportunidade foram levadas uma quantia de R$ 1.000 de uma das vítimas conhecido como Pedro do Peixinho na localidade Toerão, além de uma moto que pertence ao Amaury filho da Maria do Baixão. A moto foi recuperada logo após ter sido largada mais adiante pelos assaltantes.

Com medo e temendo uma ação ainda pior por parte dos bandidos, comerciantes chegaram a baixar as portas dos seu estabelecimentos com intuito de se resguardar e evitar uma ação indesejável por parte dos assaltantes

Edjane Paes funcionária de um posto correspondente do Banco Bradesco na cidade e Antônio Carlos proprietário de uma casa lotérica na cidade chegaram também a baixar as portas. Edjane chegou a largar tudo e sair correndo pra dentro de casa, acreditando que os ladrões já estavam entrando na cidade.

Acredita-se que os assaltantes sejam os mesmos que praticaram o mesmo ato no ano passando, quando chegaram a humilhar, levando dinheiro e pertences como bolsas e até sapatos dos passageiros de um carro que fazia linha para Dom Inocêncio.

Acredito também que já passou da hora de um olhar mais apurado referente ao efetivo da polícia municipal ser 'dobrada' e reforçada principalmente no dia do pagamento dos aposentados e Bolsa Família na cidade."
Macelo Damasceno

Nome parecido faz idoso do Piauí ser confundido com suspeito de crime. Ele vive em Dom Inocêncio e nunca esteve no Pará

 "Inocentino comprovou que é inocente"
"Até a mãe tem mesmo nome!"


O município de Dom Inocêncio-PI continua na mídia. Após sair em rede nacional com as enchentes que alagou a sede há quinze dias, agora a "Terra dos Caprinos" volta a ser notícia por um equívoco que acabou constrangendo o Sr. Davi, um idoso de 78 anos que vive tranquilo em sua residência no interior do município.

Confira a reportagem de Gustavo Almeida do G1 Piauí na íntegra.




Um erro cometido pela Justiça e um constrangimento inesperado para um aposentado da zona rural de Dom Inocêncio, no Sul do Piauí. Em janeiro, a família de David de Souza Rodrigues, 78 anos, foi surpreendida com uma notificação da 4ª Vara Criminal de Belém, no Pará. No documento, a informação de que o idoso era obrigado a enviar defesa por um crime supostamente atribuído a ele, cometido em 2014 na capital paraense.
De acordo com a intimação, seu David tinha prazo de 60 dias para apresentar defesa à Justiça. Conforme os autos do processo, o crime ocorreu no dia 24 de junho de 2014, por volta das 17h. O verdadeiro acusado, identificado como David Souza Rodrigues, 33 anos, abordou uma mulher simulando estar armado e exigiu que a vítima lhe entregasse a bolsa, sob ameaça de ser esfaqueada.
Aposentado se diz contrariado com a notificação recebida  (Foto: Agnaldo Macedo/Arquivo Pessoal)Aposentado se diz contrariado com a notificação
recebida (Foto: Agnaldo Macedo/Arquivo Pessoal)
Na época, o acusado foi preso e confessou o crime, mas acabou sendo colocado em liberdade provisória para aguardar a tramitação do processo fora da prisão.
No decorrer da ação, no qual o Ministério Público do Pará é o denunciante, o juiz determinou a apresentação do acusado para prestar defesa e destacou que caso o réu não fosse encontrado, diligências junto à base de dados do TRE-PA e da Receita Federal fossem realizadas para localizá-lo.
A procura não chegou a ser feita no Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) por inexistência de endereço do acusado e então partiu-se para a busca na Receita Federal, onde foi localizado o nome e o endereço de David de Souza Rodrigues, o aposentado do Piauí. A notificação foi endereçada à Comarca de São Raimundo Nonato, a qual Dom Inocêncio é subordinada.
Família pega de surpresa
Além da semelhança entre o nome dos dois, as mães deles também possuem nomes parecidos, diferenciados apenas pela preposição "de". No caso do aposentado piauiense, o nome da mãe é 'Maria de Souza Rodrigues', enquanto a do verdadeiro acusado é 'Maria Souza Rodrigues'. A família do idoso piauiense foi pega de surpresa com a notificação e não se conforma com o acontecido.
Seu David diz nunca esteve na capital do Pará (Foto: Agnaldo Macedo/Arquivo Pessoal)Seu David, 78 anos, diz que nunca esteve na capital do Pará (Foto: Agnaldo Macedo/Arquivo Pessoal)
"Recebemos a notificação e ficamos surpresos, pois meu pai nunca na vida dele tratou de casos que pudessem ocupar à Justiça. Ele é um homem do campo, que sempre procurou fazer o bem. Após isso, tentamos acalmá-lo, pois ele tem problemas cardíacos e de pressão alta", disse Márcia Rodrigues de Sousa Macedo, filha do aposentado.
Seu David reside na comunidade rural de Baixão do Zé Luzia, a 17 km da zona urbana de Dom Inocêncio. Segundo a família, ele trabalhou a vida inteira na roça e atualmente enfrenta sérios problemas de saúde. O aposentado passou recentemente por cirurgias na próstata e na bexiga, colocou uma ponte de safena e toma remédios diariamente para o coração.
"Ele recebeu orientações do médico para que tivesse o máximo de repouso. Aqui ele cuida apenas das cabras, faz sua alimentação e deita numa rede a espera de amigos e familiares. Meu pai fala que tem 78 anos, nunca pisou os pés numa delegacia e já no fim da vida recebe uma notícia dessas. A justiça errou de forma primária e deixou um cidadão dessa idade ser confundido com um homem de 33. É inaceitável", completou a filha.
Idoso já passou por cirurgias e sofre com problemas cardíacos (Foto: Agnaldo Macedo/Arquivo Pessoal)Idoso já passou por cirurgias e sofre de problemas
cardíacos (Foto: Agnaldo Macedo/Arquivo Pessoal)
Inconformado com a notificação, o próprio aposentado falou ao G1 sobre o transtorno que está sendo obrigado a enfrentar. Ele afirma que o caso tem tirado seu sono, pois sempre lutou para viver em harmonia e criar os oito filhos com dignidade no sertão do Piauí.
"Nunca andei em Belém do Pará, nunca roubei e criei meus filhos trabalhando com seriedade. Fico nervoso porque é doído você pagar por algo que não fez. Fiquei muito contrariado quando me chegou essa ordem aqui, porque eu não sou gente dessas coisas", disse.
Justiça do Pará se explica
Procurada pelo G1, a chefia de gabinete da 4ª Vara Criminal do Pará informou que erros causados pela existência de homônimos [quando duas pessoas têm nomes iguais] são comuns de acontecerem. O chefe de gabinete, José Maria dos Santos, disse que trata-se de procedimentos da Justiça para localizar os acusados.
Documento mostra expedição da Carta Precatória para o aposentado do Piauí (Foto: Agnaldo Macedo/Arquivo Pessoal)Documento mostra expedição da Carta Precatória ao aposentado (Foto: Reprodução/TJ do Pará)
"É uma tentativa da Justiça de localizar o acusado. É corriqueira essa questão relacionada a existência de homônimos e às vezes ocorre. O processo deve está se iniciando e esse senhor vai ter que se defender, mas ele comprovando que não é a outra pessoa não haverá problemas entre ele e a Justiça", falou.
Questionado sobre o constrangimento provocado pelas falhas que ele classificou como corriqueiras, o chefe de gabinete sustentou que a falta de informações sobre os verdadeiros acusados em alguns processos acaba gerando esse tipo de situação. Ele disse que não pode dar informações específicas a cerca do caso, mas falou com base em outros processos.
"Às vezes o acusado em um processo dá os dados errados justamente para dificultar o trabalho da Justiça. Informam data de nascimento e endereços errados e isso dificulta, então é feita essa procura em outras bases de dados", justificou.
Advogado rebate
O advogado de defesa do seu  Davi, Luzemberg Dias dos Santos, classificou a falha como um erro elementar da Justiça e já encaminhou a defesa pedindo a revogação do mandado de citação expedido. O advogado ainda criticou a afirmação dada pela chefia de gabinete de que esse tipo de falha é comum.
Advogado classifica falha como erro elementar da Justiça (Foto: Luzemberg Santos/Arquivo Pessoal)Advogado classifica falha como erro elementar da Justiça (Foto: Luzemberg Santos/Arquivo Pessoal)
"Dizer que é algo corriqueiro é admitir um erro grave da Justiça. Se você observar os nomes são distintos e ninguém observou o CPF, a data de nascimento e ao endereço muito distante do seu David de Dom Inocêncio. Essa diligência equivocada passou pelo serventuário da Justiça, pelo promotor e pelo juiz, que determinou a citação", disse.
Ainda conforme o advogado, o prazo de 60 dias para defesa não foi esperado por conta da urgência e devido à saúde fragilizada do aposentado piauiense. Ele conta que um possível pedido de prisão oriundo da falha poderia causar danos irreparáveis ao idoso, que está inconformado com a situação.
Carta Precatória recebida pelo idoso do Piauí (Foto: Divulgação/TJ do Pará)Carta Precatória recebida pelo idoso do Piauí (Foto: Divulgação/TJ do Pará)
"O que mais chama atenção não é um único erro, mas sim um erro em cima do outro. Um idoso, com saúde debilitada com certeza não suportaria em caso de um pedido de prisão equivocado que viesse a acontecer. Além disso, a Justiça sabe quem é o David de Belém porque esteve com o verdadeiro, já que o acusado foi preso na época do crime", completou.
A família ainda não decidiu se além do pedido de revogação do mandado de citação vai pedir indenização por danos morais.