sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Zé Filho promete terminar asfalto de São Raimundo a divisa com a Bahia e Dom Inocêncio. Objetivo é ligar todo Piauí pelo asfalto

 Será que agora vai? ou é apenas mais uma promessa de campanha?

O candidato à reeleição apresentou um plano de trabalho que envolve todo o Piauí e que vai impulsionar a geração de riquezas no nosso Estado.

De 2010 a 2014 foram construídos e restaurados quatro mil quilômetros de estradas. Um compromisso já instaurado e que vai ser mantido para os próximos quatro anos é qualificar ainda mais a malha rodoviária do Estado de acordo com o programa eleitoral de Zé Filho (PMDB) exibido nesta quarta-feira (17). O candidato à reeleição apresentou um plano de trabalho que envolve todo o Piauí e que vai impulsionar a geração de riquezas no nosso Estado.

Nos próximos quatro anos Zé Filho vai também ligar por asfalto as últimas cinco cidades que faltam atualmente como Canavieira, Santa Filomena, Guaribas, Domingos Mourão e Dom Inocêncio. “Uma notícia importante que você vai gostar é que nosso governo está para terminar a ligação de todos os 224 municípios do Piauí com asfalto pela primeira vez na história”, comentou o candidato à reeleição. Zé Filho lembrou ainda que o trabalho realizado com as estradas é muito bom e vai ajudar a economia a dar um grande salto para o futuro.

Imagem: Jociara Luz/GP1Zé Filho garantiu que é preciso facilitar a vida do empresário (Imagem:Jociara Luz/GP1) 
Zé Filho
“Por onde você andar certamente vai encontrar uma estrada em obras”, afirmou o candidato à reeleição Zé Filho acompanhado do candidato a vice-governador Silvio Mendes (PSDB) e do caminhoneiro Zé Henrique que conduziu os candidatos pelas estradas que estão em construção no Piauí. Na região dos Cerrados o destaque é para a rodovia Transcerrados com um primeiro trecho de 118 quilômetros, dos quais 50 já estão asfaltados. Outro trecho importante é entre Gilbués e Santa Filomena onde dos 130 quilômetros, 115 já foram concluídos e entre Corrente e Chapada das Mangabeiras são 40 quilômetros.

Já na região da mineração, novo polo de desenvolvimento do Piauí, Paulistana é o centro de dois trechos importantes para o escoamento da produção mineradora. São 37 quilômetros em construção entre Paulistana e Curral Novo e 32 quilômetros entre Paulistana e o Povoado Tigre. A construção de estradas inclui também um trecho de 57 quilômetros entre Conceição do Canindé e Jacobina, assim como 40 quilômetros entre as cidades de Pio IX e a BR 020. “Nesses últimos meses melhorou bastante as estradas. Estão fazendo asfalto novamente", disse o caminhoneiro Francisco Alves sobre as estradas piauienses.

Na região turística há trechos que envolvem várias cidades que atraem visitantes do Brasil e do mundo como os 12 quilômetros que ligam o Parque Nacional Serra da Capivara a cidade de Coronel José Dias e outro trecho de 57 quilômetros entre São Raimundo Nonato e a divisa com a Bahia. A região litorânea por sua vez conta com um trecho de 20 quilômetros entre as cidades de Parnaíba e Ilha Grande. “Antes a gente via muito buraco e muita estrada de chão. Hoje tem mais asfalto e menos estrada de chão”, observou Francisco Wellington caminhoneiro que trafega pelo sul do Estado.
*Com informações da assessoria do candidato

Cidades da microrregião de São Raimundo receberão tropas federais nas eleições

 
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou por unanimidade, em sessão administrativa, o envio de força federal para 64 municípios do interior do Piauí, com o objetivo de garantir a normalidade da votação e apuração do resultado das Eleições de 2014. A relatora do processo, ministra Maria Thereza de Assis Moura, informou que o pedido foi encaminhado pelo TRE-Tribunal Regional Eleitoral do Piauí com a concordância do governador do estado, Zé Filho (PMDB).
 

 A decisão do TSE se baseou na alegação do TRE-PI, que alegou a existência, nesses municípios, de um tradicional clima de tensão, intranquilidade e acirramento de ânimos no período que antecede o pleito eleitoral, bem como a insuficiência de policiais para garantir a segurança. Os homens do Exército irão atuar em 64 municípios distribuídos em 20 zonas eleitorais. 


O tenente-coronel do 25º Batalhão de Caçadores, Jakson Figueiredo, informou que homens do 23º Batalhão de Fortaleza, do 41º Batalhão do Ceará e 41º Batalhão de Pernambuco irão ajudar na segurança. “É quase uma regra o TSE aprovar o envio de tropas para as cidades que fizeram essa solicitação. O Exército já está com todo o plano de ação pronto. Nosso objetivo é contribuir com a tranquilidade e garantir que a eleição corra normalmente”, explicou. 


Na eleição deste ano será dada atenção especial aos municípios da região Sul do Estado, que possuem histórico de violência em pleitos passados. Estes municípios do Sul irão contar com a força federal e de homens das polícias Militar e Civil do Estado. A segurança também será reforça nas cidades que possuem candidatos do município na disputa. 


Serão enviada topas para Parnaíba, Ilha Grande, Pedro II, Milton Brandão, Domingos Mourão, Lagoa de São Francisco, São Raimundo Nonato, Coronel José Dias, Dom Inocêncio, São Lourenço, Uruçuí, São João do Piauí, Campo Alegre do Fidalgo, João Costa, Pedro Laurentino, Lagoa do Barro do Piauí, Capitão Gervásio Oliveira, Nova Santa Rita, Corrente, Sebastião Barros, Santa Filomena, Altos, Coivaras, Pau D'arco do Piauí, Gilbués, São Gonçalo do Gurgueia, Barreiras do Piauí, Canto do Buriti, Brejo do Piauí, Pajeú do Piauí, Tamboril do Piauí, Paulistana, Acauã, Betânia do Piauí, Jacobina do Piauí, Queimada Nova, Fronteiras, São Julião, Alegrete do Piauí, Caldeirão Grande do Piauí, Cocal, Cocal dos Alves, Demerval Lobão, Lagoa do Piauí, Monsenhor Gil, Curralinhos, Miguel Leão, Cristino Castro, Alvorada do Gurgueia, Santa Luz, Palmeira do Piauí, Picos, Dom Expedito Lopes, Geminiano, Francisco Santos, Monsenhor Hipólito, Santo Antônio de Lisboa, Monte Alegre do Piauí, Anísio de Abreu, Bonfim do Piauí, Dirceu Arcoverde, Fartura do Piauí, Jurema, São Braz do Piauí e Várzea Branca.
Repórter: Lídia Brito/portal oDia

Pilão Arcado: homem que ficou sem as mãos foi acusado de furtar bodes, para Polícia é inocente. Crueldade fora dos limites!

 
No último domingo (14) Josemar Ferreira de Sousa foi brutalmente agredido a golpes de facão pelo ruralista Norberto da Silva Moraes, 40 anos na cidade baiana de Pilão Arcado (788 km de Salvador). Os golpes arrancaram as duas mãos e causaram outros profundos ferimentos em diversas partes do corpo. Norberto que ficou no local aguardando a polícia foi preso em flagrante e a vítima levada ao hospital de Traumas de Petrolina até então em estado grave.

A Polícia Civil continuou as investigações e na tarde desta quarta-feira (17) o delegado titular da cidade de Pilão Arcado, Arnóbio Dionísio Soares, falou a imprensa local que Josemar Ferreira, conforme as investigações realizadas, está descartada a hipótese da vítima ser autor de furtos de bodes da propriedade de Norberto apontado por ele mesmo como sendo a vítima autor. “Josemar não tem passagens pela polícia, tem bons antecedentes, trabalhador e o autor ainda sofre de transtornos e não houve nenhum registro de furtos de bodes por parte do autor dos golpes” disse o delegado. A autoridade policial ainda disse que já o autor tem passagens por pequenos delitos como apropriação indébita e outros. As reais motivações que levaram Norberto a cometer o crime ainda serão investigadas e a vítima será ouvida esta semana.

remansoonline.com/sãoraimundo.com

Febre "Chikungunya" já chegou na Bahia. 5 casos da febre transmitida pelo mosquito da dengue são confirmados em Feira de Santana

 

O secretário da Saúde do Estado, Washington Couto, confirmou nesta sexta-feira (19/9) a ocorrência de 5 casos da febre Chikungunya na Bahia, no município de Feira de Santana.
Segundo Washington Couto, após alerta do Ministério da Saúde, todos os casos suspeitos passaram a ser investigados pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), e amostras dos pacientes com sintomas suspeitos foram encaminhadas ao Instituto Evandro Chagas (IEC). Os primeiros resultados das amostras chegaram a Salvador na manhã desta sexsta-feira.
A partir da confirmação dos casos, a Sesab intensificará ações que já estão sendo desenvolvidas, com foco principal no combate ao vetor, que é o mesmo da dengue - um mosquito do gênero Aedes.

No caso da febre Chikungunya, o Aedes Aegypti e o Aedes Albopictus são os principais vetores. Conforme a superintendente da Vigilância e Proteção da Saúde da Sesab, Alcina Andrade, no caso do Brasil, o vetor mais importante é o Aedes Aegypti, encontrado, principalmente, nos domicílios e peridomicílios.
Ações preventivas
A busca ativa de casos suspeitos e a intensificação do trabalho de campo para o combate ao vetor da doença, através da utilização do inseticida UBV (o chamado "fumacê"), para eliminação dos mosquitos alados (adultos), bem como da eliminação dos criadouros do mosquito, são algumas ações que vêm sendo adotadas pela Sesab e pelas secretarias municipais de Saúde, que já foram orientadas para ficar em alerta para a ocorrência de casos da febre Chikungunya.
O secretário da Saúde destacou ainda o papel da imprensa e da população na eliminação do vetor da doença, seguindo as mesmas recomendações feitas para o combate à dengue - a eliminação dos criadouros, que são recipientes que podem acumular água parada (pneus, vasilhames, garrafas, latas, tanques descobertos, etc).

Além disso, é importante que as pessoas fiquem atentas e busquem uma unidade básica de saúde caso tenham sintomas da doença - febre súbita e dores nas articulações. Podem também ocorrer dores musculares, dor de cabeça e exantema (manchas vermelhas na pele).
"A principal diferença entre a dengue e a febre Chikungunya é a dor nas articulações", explicou Alcina Andrade, acrescentando que ao contrário da dengue, que em suas formas mais graves tem uma alta taxa de letalidade, na Chikungunya a letalidade é muito rara, e não é necessário internar o paciente.

Casos no Brasil
Em nota divulgada recentemente, o Ministério da Saúde (MS) confirmou dois casos de febre Chikungunya no município de Oiapoque, no Amapá. As duas pessoas infectadas não possuíam registro de viagem internacional para países onde ocorre transmissão da doença, desta forma caracterizando transmissão autóctone.

Após o alerta do MS, todos os casos suspeitos passaram a ser investigados pela Sesab, e amostras dos pacientes encaminhadas ao IEC.

Nos últimos 15 dias, foram enviadas 16 amostras, sendo quatro de Salvador e as demais de Feira de Santana. No caso de Salvador, duas tiveram resultado negativo, uma teve resultado inconclusivo e será refeita, e uma ainda não teve o resultado conhecido.
A febre Chikungunya é uma doença viral, encontrada nas regiões tropicais e subtropicais, originária da África. O nome Chikuncunya, que significa "andar encurvado", deve-se à posição adotada por pacientes, em função das dores as articulações.

A transmissão autóctone da doença, inicialmente, ficou restrita aos países da África e Ásia, sendo os primeiros casos importados registrados nos Estados Unidos, Canadá, Guiana Francesa, Martinica, Guadalupe.
O primeiro caso confirmado nas Américas foi em 2013 e atualmente, todos os paises da América Central têm registro de transmissão da doença. No Brasil, foram notificados 38 casos, dos quais 17 foram confirmados.

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

MP fiscaliza elaboração do plano de resíduos sólidos em Dom Inocêncio-PI

O Ministério Público do Estado, através da Promotoria de Justiça 
Regional Ambiental em São Raimundo Nonato, instaurou um procedimento preparatório de inquérito civil para acompanhar e fiscalizar a implementação 
e elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico e o Plano Municipal 
de Gestão de Resíduos Sólidos do município de Dom Inocêncio, no sudoeste 
do estado.

O promotor Vando da Silva Marques instaurou a investigação 
considerando que nos termos do art. 55 da Lei Federal nº 12.305/2010, 
a partir de 02 de agosto de 2012, 02 (dois) anos após a data de publicação 
da referida lei, a União somente disponibilizará recursos destinados a empreendimentos e serviços relacionados à limpeza urbana e ao manejo 
de resíduos sólidos, ou para serem beneficiadas por incentivos ou financiamentos de entidades federais de crédito ou fomento para tal 
finalidade, para aqueles municípios que possuírem o Plano Municipal de 
Gestão Integrada de Resíduos Sólidos.

Prefeito Luzivalter Dias Santos (Nenê)


Ele ressaltou ainda a urgência de realização do Plano Municipal de 
Gestão Integrada de Resíduos Sólidos de Dom Inocêncio a fim de 
que o município tenha acesso a esses recursos federais.

Ao instaurar o procedimento investigatório, o promotor levou em 

consideração que no Estado do Piauí o quadro do gerenciamento 
dos resíduos sólidos e de sua disposição final é um problema gravíssimo, 
pois um grande número de municípios e de fontes geradoras independentes ainda se utiliza dos “lixões”, os quais levam a poluição do solo, 
das águas e do ar, além de produzirem vetores responsáveis pela 
transmissão de várias doenças aos seres humanos e aos animais; 
as pessoas mais carentes e miseráveis exercem ali atividade degradante 
de sua condição humana, podendo configurar crime dos arts. 54 
e 60 da Lei de Crimes Ambientais, além de ato de improbidade 
administrativa.

Ainda segundo o promotor, esses crimes ambientais podem ensejar o 

ingresso de ações penais contra os gestores públicos responsáveis pela 
poluição gerada pelos lixões, que, em caso de condenação transitada em julgado ou proferida por órgão judicial colegiado, terão sua inelegibilidade declarada desde a condenação até o transcurso do prazo de 8 (oito) anos 
após o cumprimento da pena, conforme art. 1º, I, e, 3, da Lei 
Complementar Federal nº 64/90.

O prefeito de Dom Inocêncio, Luzivalter Dias dos Santos (Nenê), será comunicado oficialmente sobre o caso e dele serão requisitadas 

informações se o município de Dom Inocêncio possui Plano Municipal de 
Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, bem como se buscou financiamento 
para a elaboração desse plano, e em caso positivo, apresente no prazo de 
60 (sessenta) dias, o Plano Municipal de Saneamento Básico.

O promotor recomendou ainda que em caso de inexistência do Plano 

Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, o prefeito se mobilize 
na implementação de tal medida no prazo de 90 (noventa) dias.

A portaria 43/2014 foi assinada no dia 11 de setembro e publicada na 

edição de hoje (15) do Diário Oficial dos Municípios.
 Fonte: GP1/portal SRN

Debate CNBB Aécio é transformado em pó por Luciana Genro. "Dengosinha" enquadrou legal Aécio Neves . Tucano ficou de bico caído com tanta irreverência de Luciana!

Simplesmente espetacular a enquadrada da dengosinha!
Luciana Genro mostrou que não tem papas na língua e a "dengosinha" não poupou esforços para atacar  Aécio Neves. 

Veja o momento do ataque da até então inofensiva candidata  que acabou "depenando" o tucano! "linha auxiliar do PT uma ova!" disparou Luciana!

vote em nossa enquete ao lado para presidente e governador!











Benefícios do governo somam 2.600 reais a família que está abaixo da linha de pobreza



Esse comprovante de pagamento é de uma família em que o pai é um preso condenado e tem 3 filhos menores... Seus valores se referem ao valor do auxilio reclusão e à bolsa família dos filhos somados juntos... Esta é a renda da família que está abaixo da linha da pobreza do governo Dilma... E sabe quem paga esta conta ?
Entenderam porque tem tanta gente defendendo o PT ? Simples assim...
e então, você concorda?

do perfil de  Josivaldo Dias Gomes via Marcelo Madarász.

terça-feira, 16 de setembro de 2014

William Bonner é apontado como o pivô da 'expulsão' de Patricia Poeta no Jornal Nacional. Compra de apartamento milionário seria o motivo da queda de Poeta

A
"A Queda de Poeta"
versão oficial da Globo de que já estava previsto que Patricia Poeta ficaria apenas três anos como apresentadora do Jornal Nacional não foi digerida nos bastidores da própria emissora. Para jornalistas da Globo, Patrícia não saiu do JN; ela caiu. E todos os dedos apontam para William Bonner como o principal articulador da queda de Poeta, que, especula-se na emissora, deverá comandar um programa vespertino de variedades em 2015.
Nos bastidores da Globo, é notório que Bonner nunca digeriu o fato de ter que aceitar Poeta como colega de bancada, em 2011, no lugar de Fátima Bernardes. Poeta, segundo essa versão dos fatos, não foi uma escolha de Bonner. Na Globo, há quem enxergue um processo de fritura de Patricia Poeta, que fez Bonner mero coadjuvante durante a Copa do Mundo.
Coincidentemente, sua saída do JN foi anunciada nove dias depois de vazar a notícia de que ela está comprando um apartamento de R$ 23 milhões em Ipanema, bairro nobre do Rio. O problema não é o valor do imóvel. Mas o vendedor: George Sadala, nome que o noticiário político relaciona à CPI do bicheiro Carlinhos Cachoeira e a oposição ao governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, coloca na "Gangue dos Guardanapos" A justificativa oficial da Globo de que a saída de Patricia Poeta estava planejada havia três anos não combina com a tradição da emissora de manter jornalistas durante muito tempo ocupando os mesmos cargos. William Bonner, por exemplo, está há 18 anos à frente do JN. Fátima Bernardes ficou 13 anos no telejornal.
O maior indício de que Patricia foi "expulsa" do JN em plena campanha eleitoral vem da substituta de Renata Vasconcelos, que deixará o Fantástico para assumir o principal telejornal do país. Poliana Abritta, a nova apresentadora do Fantástico, acaba de ser designada correspondente da Globo em Nova York. Ela nem chegou a estrear no posto. Foi para a cidade americana em julho e voltou na semana passada. Nesta terça, já começa a dar expediente na revista eletrônica semanal. A Globo, no entanto, sustenta que a estadia de Abritta em Nova York seria apenas até novembro e que ela voltou antes porque seus filhos não se adaptaram aos Estados Unidos.

DESCONTO DE 50% NAS TAXAS DE CARTÓRIO PARA O PRIMEIRO IMÓVEL. Lei existe há mais de 40 anos, mas aposto que você nem sabia!

Tibun@ do Con$umidor

Lei garante desconto de 50% nas taxas de escritura e registro de imóvel há mais de 40 anos, para quem adquire o primeiro imóvel para moradia, financiado pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH), mas a maioria desconhece esse direito

Comprar o primeiro imóvel não é fácil. Além de ter que enfrentar o alto preço das casas e dos apartamentos, o consumidor muitas vezes só se dá conta de que precisa de um dinheiro extra para pagar impostos e inúmeras taxas na hora em que vai a um Cartório de Notas e Registro de Imóveis. O que ele não sabe — nem os cartórios informam — é que o custo da aquisição ficaria bem mais em conta se exigisse o desconto de 50% dos valores cobrados pela escritura e registro quando se trata do primeiro imóvel.
Para obter o abatimento, é necessário, ainda, que o bem seja utilizado para moradia e financiado pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH). A orientação dos especialistas é que o comprador já vá ao cartório com toda a documentação que comprove que aquela é a aquisição da primeira residência, como certidões cartorárias e declaração de Imposto de Renda.
A redução acaba sendo uma economia e tanto para o comprador. Para imóveis que custam mais de R$ 29.108,55 na declaração fiscal — grande maioria no Brasil — as taxas de escritura e registro chegam a R$ 1.214,88.
Por incrível que pareça o desconto está previsto na A Lei de Registros Públicos, que está em vigor desde 1973. O Art. 290 da Lei nº 6.015 é bem explícito: “Os emolumentos devidos pelos atos relacionados com a primeira aquisição imobiliária para fins residenciais, financiada pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH), serão reduzidos em 50%”. A lei, entretanto, quase nunca é aplicada porque não interessa nem ao cartório nem ao vendedor alertar o adquirente. A legislação também não específica de quem é a obrigação de levar essa informação ao consumidor.
Para corrigir a falha, o deputado Edmar Arruda (PSC-PR) resolveu fazer um projeto de lei para incluir na legislação a obrigatoriedade do aviso pelo próprio cartório. “O Brasil tem tantas leis que é impossível as pessoas conhecerem todas elas. E, nesse caso, temos que fazer uma nova lei para que a antiga seja cumprida”, disse o deputado.
Edmar Arruda contou que procurou saber o motivo do não cumprimento da lei. A associação dos cartórios, segundo ele, alegou que, os tabeliães não têm condições de saber se é realmente o primeiro imóvel que o consumidor está comprando. Além disso, sustentou que a obrigação de fornecer essa informação é do próprio comprador. “É um absurdo”, disse o deputado. “O comprador não reivindica o desconto simplesmente porque não sabe que ele existe”.
Com o projeto, o deputado espera contribuir para que o consumidor seja beneficiado com o desconto. As despesas com a escritura e o registro de um imóvel são elevadas e dependem do preço do próprio imóvel e do estado onde está localizado, uma vez que as taxas cartoriais são tabeladas. E para que o Cartório não fuja de sua responsabilidade, o deputado quer que a informação seja afixada em placa indicativa, em local de fácil acesso e visibilidade.
Até os próprios corretores desconhecem a lei. É o caso de Victor Guimarães, 25 anos. “Sou do ramo há sete anos e nunca exigi esse desconto, porque não sabia dele. Isso porque já fiz registro e escritura de inúmeros clientes que compravam o primeiro imóvel pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH)”, afirma. Ele conta que, nos cartórios que frequenta, nunca foi informado do desconto. “É um absurdo, todos deveriam saber, porque é uma quantia considerável”, reclama.
Os cartórios, entretanto, negam que sonegam a informação ao comprador.
De acordo com a associação dos cartórios, é o comprador que precisa avisar que se encaixa nos requisitos na hora de fazer o financiamento do imóvel e pedir o desconto.
“Ele precisa fazer constar no contrato que aquela compra daquela pessoa se trata da primeira aquisição pelo Sistema Financeiro de Habitação. A partir disso, o registro do imóvel tem esse conhecimento. Ele não consegue adivinhar essa situação. Por isso, a pessoa tem de tomar esta iniciativa”, explica João Carlos Kloster, diretor do Registro de Imóveis.
Um contrato vai ter o preço reduzido, porque traz as informações necessárias. Para o advogado José Guilherme Duarte Silva, especialista em direito imobiliário, os cartórios deveriam divulgar a lei.
“O ideal e o correto é que as pessoas fossem alertadas no momento do protocolo do título, da documentação para registro, se podem ter esse direito e se têm interesse de fazer um requerimento de isenção”, afirmou José Guilherme Duarte Silva.
Já o tabelião titular do Cartório do 3º Ofício de Notas, Registro Civil e Protesto de Títulos de Taguatinga, Elizio da Costa, alega, no entanto, que a lei se aplica apenas a registros. 
A lei, no entanto, é clara e se refere a todas as taxas cartoriais, da lavratura da escritura ao registro de imóveis.
Extraído de: Correio Braziliense/Notícias e Bom Dia Brasil/Reportagem