sábado, 18 de fevereiro de 2017

E já que chegou o final de semana...

Curta esta linda canção do maior cantor country americano da atualidade que vem fazendo o maior sucesso aqui no Brasil também. Com vocês, Garth Brooks e seu grande sucesso, The Dance.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Sexta-feira chuvosa em São Raimundo e centro fica embaixo d'água

São Raimundo Nonato amanheceu sob forte chuva nesta sexta-feira (10/02) e o centro da cidade, como sempre acontece quando chove, não suportou a quantidade de água que desabou sobre as principais vias o que acabou inundando a área central impedindo o tráfego virando um verdadeiro caos.

Uma barreira policial foi formada alertando os motoristas a desviar do centro. Durante todo o dia as águas ainda não haviam baixado. Somente no início da noite o trânsito começou a ser normalizado na zona central .










A imagem pode conter: pessoas sentadas, atividades ao ar livre e água


A imagem pode conter: atividades ao ar livre

A imagem pode conter: atividades ao ar livre e água

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, comida e atividades ao ar livre


A imagem pode conter: 3 pessoas, atividades ao ar livre

A imagem pode conter: atividades ao ar livre

A imagem pode conter: atividades ao ar livre










Trabalhadores em educação do Piauí não iniciarão o período letivo

Terra dos Caprinos fará parte da Rota do Cordeiro

Autor: Capital Teresina

Técnicos do Ministério da Integração irão a cidade de Dom Inocêncio.
Criadores de ovinos e caprinos em cidades de Minas Gerais, Pernambuco, Bahia e Piauí participam de mais uma etapa do projeto Rota do Cordeiro, estratégia do Ministério da Integração Nacional para impulsionar a cadeia produtiva e o desenvolvimento das regiões.
Foto/Reprodução Internet 
 As oficinas de capacitação e de trabalho reuniram produtores, técnicos e entidades de apoio regional, durante essa semana na cidade de Teófilo Otoni (MG),  para discutir práticas de produção e traçar um diagnóstico de necessidades locais.
O objetivo é levar aos produtores conhecimento sobre o processo de padronização animal, desde a criação ao abate, além de discutir melhorias nas condições sanitárias para o desenvolvimento do rebanho. A partir dos debates, representantes de todo o setor buscam superar entraves, aumentar a eficiência na produção e ganhar novos mercados consumidores.
O Ministério da Integração já disponibilizou cerca de R$ 68 milhões para a Rota do Cordeiro desde a criação do projeto, em 2011. Mais de 40 mil produtores foram beneficiados. São 16 polos em todo país - dez deles no semiárido. A iniciativa é parte do programa Rotas da Integração Nacional, que atua também em outros segmentos: Frutas, Mandioca, Mel, Peixe, Leite e Economia Criativa.
As Rotas contribuem com a inclusão e integração econômica de regiões menos desenvolvidas do país aos mercados nacionais de produção, consumo e investimento, a partir da formação de Arranjos Produtivos Locais (APLs) implementados pela Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) do Ministério da Integração. O programa também dá suporte a ações associadas à infraestrutura (energia, transportes etc.), aos mecanismos de financiamento (Fundos regionais e incentivos fiscais) e ao fortalecimento de capital social (associativismo e cooperativismo). Em cinco anos, o Governo Federal já investiu cerca de R$ 360 milhões.
Calendário - Os municípios de Bagé, no Rio Grande do Sul, e Santana do Livramento, em Minas Gerais, também receberam as oficinas da Rota do Cordeiro no início deste mês. As próximas atividades serão realizadas nas cidades de Petrolina e Floresta, em Pernambuco; Jussara, Manoel Vitorino e Pintadas, na Bahia; e no município piauiense Dom Inocêncio.
Veja o cronograma das oficinas:
Pintadas (BA) - 15 e 16 de fevereiro
Dom Inocêncio (PI) - 15 e 16 de fevereiro
Jussara (BA) - 15 e 16 de fevereiro
Manoel Vitorino (BA) - 8 e 9 de março
Petrolina (PE) - 9 e 10 de março
Floresta (PE) - 15 e 16 de março


quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Bastou chover em Dom Inocêncio e olha no que deu

"Situação se repete todo ano quando chove"

A rua Faveleira no Alto Bela Vista em Dom Inocêncio-PI já é considerada um "termômetro" da quantidade de chuva que cai na sede do município. Basta uma pequena chuva para inundar as casas do local que não possui bocas-de-lobo ou bueiros para escoamento das águas. Veja as imagens e o relato do jornalista inocentino Marcelo Damasceno em seu perfil.

"Um problema que dura há anos
O registro foi feito na manhã de hoje (10) na rua Faveleira após uma chuva.
Eu quero saber até quando os moradores da rua Faveleira em Dom Inocêncio vão ter que conviver ainda com uma situação como essa que se arrasta há anos e nunca nada é resolvido. Já até tentaram amenizar o problema 'rasgando' boa parte da lateral da rua; na época amenizou o problema mas mesmo assim ainda não resolveu.
Temendo novas pancadas de chuvas, um morador corre contra o tempo e recorre ao uso de um motor com o objetivo de tentar eliminar com mais rapidez o grande volume de água.
Imagina o transtorno e o desespero desses moradores. Destaco aqui a casa da Mariá (Foto), essa todos os anos já está no calendário ter que passar por esse sufoco, esse sofrimento nos primeiros pingos de chuva que caem na cidade.
De quem é a culpa?
Sinceramente não sei... não vamos procurar os culpados agora, vamos nos preocupar com a urgência na solução do problema, levando em conta que o inverno na região está só começando, ou seja, muitas águas ainda vão rolar por aí.
Sei dizer que isso é um problema de desnível e um dos mais antigos, foi uma falha na engenharia para um melhor escoamento e saída da água da rua.
Se eu estiver enganado por favor me corrijam, mas acho que isso ainda é da época do Pe. Lira que permitiu a rua sem bueiros. Salve engano, exatamente nesse lugar passa uma vereda.
Jornalista,
A imagem pode conter: campo de beisebol e atividades ao ar livre
Rua Faveleira não suportou a quantidade de água que desceu do Alto Bela Vista

A imagem pode conter: céu, árvore, casa, atividades ao ar livre, natureza e água

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, atividades ao ar livre e água
morador tenta cavar um buraco na rua para escoar a água

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Inocentino passa em Direito na UFPI


Rennan Oliveira faz a matrícula no campus da UFPI em Teresina (Foto: Arquivo Pessoal)

Na segunda-feira (6) o jovem Rennan Oliveira Sousa, 17 anos, esteve em Teresina e fez a matrícula no curso de Direito da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Ele, que sempre estudou em escola pública, foi aprovado pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) depois de obter boa média no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Rennan conseguiu a aprovação como cotista. A UFPI é a principal instituição de ensino do Piauí e nos últimos anos sempre ficou entre as mais cobiçadas por estudantes de todo o país. O curso de Direito da instituição, em que Rennan se matriculou, é um dos que mais aprovam no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Jovem incentino concorreu como cotista e foi aprovado (Foto: Arquivo Pessoal)

"Fiquei feliz e até um pouco assustado porque as vezes não cai a ficha que é uma federal, mas estou muito feliz e agradecido a Deus pela oportunidade. Sei que pela frente tem vários desafios, mas cada dia um passo é dado e seguimos com fé que no fim tudo vai dar certo", comentou Rennan.

Inocentinos na UFPI

Rennan será o sétimo filho de Dom Inocêncio a ingressar na UFPI. Já se formaram pela instituição o engenheiro agrônomo José Costa (Costinha), em 1982, o médico Nestor Lopes de Almeida, em 1990 e o jornalista Gustavo Almeida, em 2016. Atualmente, estudam na universidade as talentosas Juliana Veiga [direito], Raianne Cristina Oliveira [odontologia] e o jovem Victor de Souza, no curso de Ciências Contábeis.

Chuva em Dom Inocêncio

Veja como amanheceu a cidade de Dom Inocêncio nesta quarta-feira (08/02) com céu repleto  de nuvens carregadas se aproximando da sede do município que sofre com a estiagem. As imagens são do bairro Morada Nova na saída para a localidade das Traíras. 
Imagens: Vicente Braga Dos Passos

A imagem pode conter: nuvem, céu, atividades ao ar livre e natureza


A imagem pode conter: nuvem, céu, atividades ao ar livre e natureza




A imagem pode conter: nuvem, céu, montanha, atividades ao ar livre e natureza




terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

REMANSO BA - BANCO DO BRASIL E BRADESCO TEM CAIXAS ELETRÔNICOS EXPLODIDOS

EXPLOSÃO DE BANCO EM REMANSO BA
TEXTO E IMAGENS: BLOG CORONEL


Bandidos explodem duas agencias bancarias na madrugada desta terça-feira (7) em Remanso BA

Com armamento de guerra e explosivos, um grupo de assaltantes atacou as agências dos Bancos Brasil e Bradesco, no Centro de Remanso, por volta das 02:15 da madrugada desta terça-feira (7) e detonou parte dos caixas eletrônicos das unidades. Durante a ação, o grupo fortemente armado cercou e metralhou a Delegacia e o Pelotão de Policia local, deixando as policias imobilizadas e sem chances de defesa.


A ação durou cerca de 20 minutos, centenas de capsulas de balas deflagradas ficaram espalhadas pelas ruas, numa demonstração do imponente poder bélico que os bandidos possuem. Na fuga eles levaram dois reféns que foram liberados logo em seguida. Viaturas de Juazeiro foram encaminhadas com brevidade para o local. 

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Não plante Nim Indiano

O blog do professor Marcelino Keliton alerta para os malefícios de se plantar o Nim Indiano ou o popular Lírio, a árvore é invasora da caatinga e está destruindo as águas, as plantas e fauna locais. Confira o relato


Resultado de imagem para nim indiano

Especialistas de várias áreas, biólogos, geógrafos, pesquisadores, do estado do Ceará estão preocupados com a morte do bioma Caatinga naquele estado por conta do plantio desenfreado do Nim Indiano (Azadirachta). 

Estes especialistas defendem esta tese com base em observações in locus nestes últimos 10 anos.


A região de Inhamuns, sudoeste do estado do Ceará, está sofrendo com a proliferação do Nim Indiano - planta exótica oriunda da Índia. 


Invés de plantar árvores nativas da Caatinga, a população em geral e o Estado estão preferindo o Nim. 


..."a espécie Nim se alimenta dos microrganismos da terra, é repelente natural de proporções desastrosas para a fauna e a flora, tem poder extraordinário de reprodução que já está sem controle, é árvore invasora, é abortivo natural que já ocasiona danos na região", explica Jorge de Moura, secretário executivo do Pacto Ambiental da Região dos Inhamuns (Parisc). 

Na microrregião do Sertão de Inhamuns vários agricultores relatam que muitos prejuízos estão sendo sentidos. 

"Todas as árvores frutíferas do seu sítio morreram e até parece que atearam fogo, a água está contaminada. Se algum canteiro de verduras ou mesmo árvores forem regadas com essa água, a mortandade é de imediato", falou um agricultor da fazenda Veneza do município de Tauá. Aqui em Esperantina a realidade não é outra. 


Há pouco tempo este Nim Indiano desembarcou com força total em nosso município.


Está empestada. Para quem espera retorno rápido quanto ao sombreamento, esta planta é chave de ouro, ou seja, a curto prazo está servindo tanto aos moradores quanto às instituições públicas e privadas da cidade.

Por outro lado, a longo prazo, os danos estão se tornando irremediáveis.

Tanto o solo, o ar e as águas estão sendo afetados diretamente a cada dia.

O ser humano, dependente desses três elementos, logo estará colendo sua própria doença, sua própria morte. 

Em breve não teremos mais solo cultivado. O ar poluído fará parte de nosso cotidiano e a água que beberemos não passará de veneno.
Os prejuízos na saúde serão bem maiores do que hoje. Flora e fauna, nativas, serão extintas e viveremos como os principais agentes de nosso próprio fim.
Plantas de nosso bioma (Caatinga), frutíferas ou não, não estão mais sendo usadas como arborização (pública e privada) em Esperantina.

"Eu só sou responsável pelo que eu falo, não pelo o que você entende" (Renato Russo).

Contribuição - painelflorestal

DE PETROLINA PARA SÃO RAIMUNDO VIA REMANSO: A LENDA QUE SE DESFEZ

blog Novos Horizontes
Confira o relato de um casal que veio visitar a Serra da Capivara em São Raimundo Nonato e ficou na dúvida ao chegar em Petrolina-PE entre vir por Remanso-BA ou Afrânio-PE.
"Desde o início do planejamento da viagem tínhamos uma dúvida: quando estivéssemos em Petrolina, qual caminho pegaríamos para São Raimundo Nonato?
A dúvida não surgiu por acaso. Com as pesquisas, descobrimos que existiam duas alternativas de trajeto para quem estava em Petrolina. Uma mais longa em 80 km, porém toda asfaltada, que iria pela divisa Pernambuco/Piauí até a cidade piauiense de Afrânio e de lá seguiria para São Raimundo Nonato. Já a outra, mais curta, porém com 50 km de estrada de chão, seguiria pela divisa Pernambuco/Bahia até a cidade baiana de Remanso e de lá seguiria para São Raimundo.
Até aí, tudo bem, já que, pra mim, melhor seria pegar 50 km de chão e economizar 80 km em distância total de percurso. O tamanho da dúvida começou a evoluir quando decidimos dar uma olhadinha em alguns relatos encontrados na internet.
Os relatos eram bastante desanimadores (e de tão dramáticos, até engraçados), já que diziam que a estrada era intrafegável, com muitas crateras intransponíveis e que, de tempos em tempos, surgiam notícias de assaltos por essas bandas.
img-20170202-wa0002
Placa cravada a balas ainda permanece na estrada, caracterizando o período “sombrio” da rota
Era quase que unanimidade que a estrada por Remanso não valeria a pena (a essa altura eu já estava com uma pulga atrás da orelha com essa estrada). Diante disso, desencanei de decidir esse caminho naquele momento de planejamento (planejar não é mesmo meu forte) e resolvi ver quando já estivesse em Petrolina.
Chegado o momento de tal decisão, fomos procurar informações com um funcionário do hotel onde estávamos hospedados em Petrolina, afinal “nada melhor do que alguém da região para nos dar essa informação”, pensei.
Quando perguntei sobre as condições da estrada de Remanso, logo percebi um semblante sério no rosto do rapaz. Até pensei que tivesse feito algo errado, falado um palavrão ou coisa do tipo. Logo veio a contraindicação: “Não aconselho. Trabalhei por essa região algum tempo e essa estrada é horrível. Lá só tem buracos e crateras enormes. E tem mais! Os bandidos costumam se vestir de policiais para simularem blitz e realizarem assaltos. Se eu fosse você, gastaria um tempo pouca coisa maior e iria por Afrânio.”
O rapaz não sabia, mas, por algum motivo incompreendido, a sua contraindicação teve o efeito contrário. Afinal, porque não ir por Remanso? A Lu enviou uma pergunta para a guia que iria nos receber em São Raimundo sobre os possíveis assaltos nessa região, ela então respondeu falando que isso tinha sido há muito tempo atrás e que já não existia mais. Era o que faltava para batermos o martelo na nossa decisão.
Chegado o dia da tão esperada viagem, seguimos em direção a Remanso. Esse trecho tinha tudo para ser super tranquilo, com retas intermináveis e pouco movimento.
dscn9948
Porém um ingrediente surpresa apareceu para modificar a situação: animais na pista! Sim, e eram muitos, dos mais variados, tinham jegues, cavalos, bodes, carneiros, porcos, cachorros… Apareciam do nada, em grupo, solitários, brotavam do asfalto. Ou surgiam das miragens produzidas pela lei da refração. Não tinha como dirigir tranquilo, pois a todo instante aparecia um bicho na sua frente. Terrível.
dscn9950dscn9961dscn9963
Chegando em Remanso, ainda restavam aproximadamente 100 km até São Raimundo, sendo que os próximos 50 km seriam da infame estrada de chão. Logo na saída da cidade, percebo algo parecido com asfalto no centro da estrada, porém andar pelo acostamento se revelou um caminho mais seguro e confortável a seguir.
dscn9952dscn9953
Nos quilômetros iniciais surge uma mulher que parecia acenar para nós, e eu, sem entender direito, apenas continuei. Depois de alguns quilômetros, a parte de asfalto desapareceu e a tão temida estrada de chão se revelou por inteira para nós. Porém, logo percebemos se tratar de uma estrada de chão comum. Nada de crateras e buracos intransponíveis, mas sim, muitas costelas de vaca e pedras durante todo o trajeto (devo admitir que foi até meio decepcionante). Conseguíamos desenvolver velocidades de até 60 km/h, nada mal para uma estrada de chão.
Até a metade do trajeto, tudo ia bem, entretanto, notei pelo retrovisor um grande rastro de poeira e logo percebo que vinha um carro atrás de nós a toda velocidade. A paranoia tomou os meus pensamentos – “Um carro pequeno, nessa velocidade, nessa estrada… Só pode ser alguém querendo nos assaltar e aquela mulher que tinha acenado para nós queria nos dizer alguma coisa”.
Apenas comento brevemente com a Lu, ligo a tração 4×4 e começo a acelerar. Estamos flutuando e chacoalhando na estrada de cascalho e costelas de vaca a 80 km/h, olho no retrovisor e lá está ele, o corsinha branco na nossa cola. – “Puta que pariu, esse cara vai mesmo nos assaltar?” – penso eu.
Foi quando encontramos um outro carro na nossa frente. Comento com a Lu: – Vamos ficar atrás desse carro, e o “assaltante” não vai poder fazer nada. E assim chegamos no asfalto. Logo, o carro da frente sumiu no horizonte e fomos ultrapassados pelo “assaltante”. Passada a histeria, andamos mais 40 km, até chegar em São Raimundo Nonato, sem sermos assaltados, obviamente, gastando apenas 4 horas de viagem, contra as 5 horas previstas no caminho por Afrânio, e totalmente inteiros.
dscn9965
Concluindo, se você não se importar em pegar uma estrada de chão, com suas costelas, pedras e poeira e quiser economizar quilometragem e tempo nesse trajeto, esse caminho por Remanso é uma excelente alternativa. Carros pequenos trafegam perfeitamente por lá. É lógico que as condições dessas vias podem mudar muito de uma época pra outra do ano, mas não acreditem em tudo que ouvem por aí. Procurem sempre o máximo de informações, e, se possível, atualizadas."

imagem do dia

Nenhum texto alternativo automático disponível.

"Minha Galega,

Agora o céu ganhou a estrela que iluminou minha vida." - Lula

Arte: Jota Camelo

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Uma hora de chuva e São Raimundo Nonato fica alagada

Texto e imagens: Blog do Lucas Nunes

Choveu bastante nesta quinta-feira (02/02) em São Raimundo Nonato, uma benção para os sertanejos que vem sofrendo com a seca. Os sertanejos e catingueiros comemoram a ótima chuva que caiu hoje sobre o solo sãoraimundense. 

Bastou cerca de uma hora de chuva forte para deixar o centro da cidade alagado. As obras de saneamento feitas no governo anterior que deveriam amenizar o problema, não foram suficientes para conter a força das águas. A chuva abençoada começou um pouco antes das 16:00h e foi diminuindo a partir das 17:00h.

Passado o mês de janeiro praticamente sem chuva, o início de fevereiro trouxe esperança para a região que sofria com a seca. Os municípios de Dom Inocêncio, São Lourenço, Coronel José Dias e outros ao redor de São Raimundo também registraram chuva nesta quinta-feira.

Os agricultores renovam as esperanças para que haja um inverno bom para o seu plantio e posterior colheita.  O único problema disso tudo ainda é a falta de infraestrutura para amenizar os danos causados por fortes chuvas no centro de São Raimundo Nonato. 

É um transtorno sem tamanho, não apenas para a população, mas também para os comerciantes que tem as suas lojas nas proximidades do Mercado de Frutas e do Mercado do Produtor. 

É um problema de muito tempo, onde faltou ações para a melhoria e o reparo deste transtorno. As ruas ficam alagadas, impedindo o tráfego pedestre, automotivo, enfim, fica impossível trafegar nas áreas alagadas, interrompendo assim o trânsito no centro da cidade. 

A população cobra das autoridades competentes que tentem resolver este problema ou pelo menos amenizar a situação.


















quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Belas imagens de São Raimundo Nonato

" Onça teve bigodes arrancados por vândalos "
Confira as  imagens de São Raimundo Nonato tiradas sob um novo ângulo.

Aeroporto Internacional Serra da Capivara

Entrada do Aeroporto Internacional Serra da Capivara. Aeroporto já tem voos para Teresina e Picos

Saguão do Aeroporto Internacional Serra da Capivara. Atendente emitindo passagens para Teresina ao fundo

Uma das onças símbolo do município na entrada de São Raimundo Nonato. Vândalos arrancaram todos os bigodes da onça

Siriema em frente à estação rodoviária. Um dos símbolos do município 

Vista do Alto do Cruzeiro com bairro Paraíso das Aves ao fundo

Vista do Alto do Cruzeiro com bairro Gavião e Santa Fé  ao fundo

Vista do Alto do Cruzeiro em direção ao centro de São Raimundo

Vista do Alto do Cruzeiro com bairro da Milonga ao fundo

Vista do Alto do Cruzeiro com bairro do Galo Branco ao fundo

Centro de São Raimundo visto do alto do bairro do Umbelina I